Núcleo de Saúde da Defensoria Pública busca garantir atendimento em domicílio para idosos com câncer


A Defensoria Especializada na Promoção e Defesa dos Direitos Relacionados à Saúde, da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), está prestando assistência social ao casal Lucineia Ferreira Barbosa e Raimundo Rodrigues Barbosa, de 79 e 81 anos, respectivamente, que sofre de câncer e não tem como se locomover até unidades de saúde. A DPE-AM solicitou da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) o atendimento do casal, cuja família é carente, por meio do programa “Melhor em Casa”, que presta assistência médica em domicílio.

Nesta quarta-feira, 29 de março, uma equipe da DPE-AM foi até Hospital e Pronto Socorro João Lúcio para assegurar o transporte da equipe do “Melhor em Casa” até a residência dos idosos, pois o programa não dispunha de veículo para a visita. Lucineia, que sofre de câncer de pele e possui graves lesões na cabeça, e Raimundo, que enfrenta câncer de próstata, moram no bairro Coroado, zona leste de Manaus.

O filho do casal, o mototaxista Alcimar Barbosa, é quem cuida dos pais e a doença da mãe requer o deslocamento frequente a um hospital para a troca de um curativo na cabeça. Por conta dos problemas de saúde dos idosos, Alcimar está sem trabalhar, o que tem dificultado o comparecimento ao hospital. Além disso, a idosa sente náuseas quando precisa fazer o percurso até a unidade de saúde de carro. A situação crítica de saúde, principalmente em relação à mãe, levou a família a divulgar um vídeo na internet, tornando o caso público e apelando por ajuda.

Na Defensoria Pública, o núcleo especializado de Saúde acionou o serviço de assistência social da instituição que, após contato com a Susam, conseguiu autorização para que uma equipe do programa Melhor em Casa fizesse uma avaliação do casal com um grupo formado por por médico, enfermeiro e auxiliar de enfermagem, além de psicólogo e assistente social.

De acordo com a assistente social da DPE-AM, Maria de Fátima Santos Seixas, que vem acompanhando o caso, a equipe do programa “Melhor em Casa” identificou que o curativo na cabeça de Lucineia deve ser feito três vezes por semana e que o procedimento pode ser feito em casa, sem a necessidade de deslocamento a uma unidade de saúde. Além de prestar atendimento a Lucineia, o programa também deverá atender a Raimundo, abrangendo o auxílio ao casal.

O serviço de assistência social vai elaborar um relatório para embasar a tomada de providências pela Defensoria Pública, no sentido de garantir que os idosos sejam adequadamente atendidos pelo programa de assistência médica em domicílio da Susam.


0 visualização