A pedido da Comissão do III Concurso de Provas e Títulos ao Ingresso na Carreira de Defensor Público


O defensor público-geral do Estado, Rafael Barbosa, reuniu-se na manhã desta segunda-feira, dia 05 de março, com o delegado-geral Mariolino Brito, para entregar os envelopes de provas do concurso para defensores públicos que estavam abertos antes do certame e solicitar a realização de perícia técnica da Polícia Civil. O delegado-geral se comprometeu a dar prioridade à apuração, em virtude da importância da questão e da necessidade de que, se for o caso, o concurso transcorra de forma isenta.

Rafael Barbosa entregou os quatro envelopes que estavam com abertura lateral e as caixas que os continham. O defensor público-geral estava acompanhado do subdefensor público-geral, Antonio Cavalcante, que estava no local da prova no momento da abertura das caixas, a defensora pública Juliana Lopes, membro da comissão do concurso, e de Plínio Nogueira e Gina Sarkis, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Amazonas (OAB-AM).

O defensor público-geral explicou que a Defensoria Pública contratou a Fundação Carlos Chagas (FCC) para a realização de todo o concurso e que a DPE-AM não interferiu em nenhum processo de manipulação das provas, cabendo isso unicamente à FCC. Rafael Barbosa também relatou que apenas os envelopes estavam abertos e que as caixas encontravam-se devidamente lacradas até o momento do início das provas e rompimento dos lacres.

O delegado-geral, Mariolino Brito,