Defensoria realiza 65 atendimentos em comunidade rural de São Francisco do Caramuri, no Rio Preto da


Com um total de 65 atendimentos voltados para orientação a pessoas idosas buscando aposentadoria, união estável, divórcios e outras situações, a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) esteve com ação da Defensoria Itinerante, na comunidade rural de São Francisco do Caramuri, no município do Rio Preto da Eva (a 80 quilômetros de Manaus).

O casal Aliete Matos,60, e Aristides Belasques, 65, vive junto há cinco anos e foi ao posto da Defensoria para saber como faria para regularizar a união no Brasil. Aristides é colombiano, mas vive há muitos anos no Amazonas e acreditava ser esse um problema para casar-se aqui. “Ficamos felizes porque recebemos as orientações necessárias e vamos a um cartório agora”, disse Aliete, que é professora.

Já Maria Edith Moreira Faria, 56, queria orientações sobre dar entrada na aposentadoria pelo INSS. “Eles me indicaram a ir direto ao INSS se o pedido for negado, devo procurar a defensoria para entrar na justiça”, disse ela, que poderá fazer isso pelo Polo da Defensoria que funciona no município de Itacoatiara. “Fiquei feliz por saber que posso recorrer à defensoria caso eles neguem e que não preciso ir a Manaus para ter esse atendimento”, disse Edith.

Sebastiana de Souza Sotelo, 35, mãe de seis filhos, precisa corrigir o registro de nascimento da filha mais velha, de 13 anos e ouviu orientações de como proceder para conseguir isso.