Empresas que atuavam em recuperação de crédito lesaram mais de 200 pessoas em Manaus em cerca de R$


Aproximadamente 200 pessoas com prejuízos que chegam a R$ 3 milhões, foram vítimas das empresas HBM Assessoria e CONFIANCE Recuperadora de Crédito, alvo de ação cautelar movida pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), por meio da 1ª Defensoria Pública Especializada em Atendimento de Interesses Coletivos (DPEAIC).

Em entrevista coletiva na manhã de hoje, 7, o defensor público Diêgo Castro, responsável pela DPEAIC, alertou que outras pessoas que estiverem nessa situação podem procurar o órgão até a fase de liquidação do processo na justiça. Já houve o bloqueio de R$ 918.000,00 em dinheiro e bens, mas como o objetivo é buscar o maior volume de recursos para quitar o que eles receberam das vítimas, nada impede que a ação de tutela provisória cautelar faça novos bloqueios de valores identificados nos nomes deles.

“As empresas anunciavam serviço de revisão do financiamento de veículos dos consumidores para fins de redução dos juros dos financiamentos. Faziam com que o valor das parcelas fossem pagos a ela e não à instituição financiadora do veículo, gerando o inadimplementos das vítimas perante a instituição financiadora, o que ocasionava a busca e apreensão dos veículos dos seus clientes e muitos prejuízos”, revelou o defensor.

Além do mais cobravam valores para isso e, no entanto, a prestação de serviço não ocorria. Atualmente, a Defensoria Pública já ajuizou o processo principal para que possa ser discutida a responsabilidade cível pelos prejuízos aos consumidores.

Atualmente, encontra-se em fase de judicialização o processo principal para que possa ser discutida a responsabilidade cível pelos prejuízos aos consumidores. Além disso, a DPEAIC está buscando junto às instituições bancárias estudar a possibilidade de repactuação dos “financiamentos” dos veículos, mas para ambas as situações não há atribuição de prazo.