Oficina de Parentalidade da Defensoria Pública orienta casais em processo de separação para cuidado


A Oficina de Parentalidade da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) chegou à sua 12ª. edição nesta quinta-feira (20/09) com a participação de 37 pessoas, a maioria que deu entrada na justiça para discutir valores ou buscar o pagamento de pensão alimentícia.

Ao afirmar que “o amor é eterno, mas muda de nome”, o defensor público Helom Nunes, que coordena a oficina juntamente com a defensora Karoline Santos, explicou que um dos objetivos principais da oficina, segundo ele, é levar o casal a pensar nas consequências da separação para as crianças. Principalmente quando há discussões na frente dos pequenos.

“As crianças, muitas vezes, se acham culpadas pela separação porque não entendem o contexto da briga e ficam com sensação de abandono, medo e decepção ao ouvir os pais citarem seu nome nas discussões”, explicou o defensor.

Ao afirmar que o aumento do número de separações é resultado, principalmente, de uniões não planejadas, Helom lembrou que h