Experiência na mediação de conflitos em Rondônia é destaque em evento sobre judicialização da saúde


O evento Diálogos Institucionais: Judicialização da Saúde foi realizado durante dois dias na capital amazonense e reuniu operadores do Direito, acadêmicos e profissionais de saúde

A implantação do Programa SUS Mediado no Estado de Rondônia, que conseguiu reduzir em mais de 95% o índice de judicialização na área da saúde foi a experiência apresentada pelo defensor público Bruno Rosa Balbé, coordenador do programa naquele estado, no evento “Diálogos Institucionais: Judicialização da Saúde”, promovido pela Procuradoria Geral do Estado do Amazonas (PGE-AM), Defensoria Pública (DPE-AM) e Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam), órgão vinculado à Corte Estadual de Justiça (TJAM) e encerrado nesta quarta-feira (26/9).

A experiência de Rondônia tem sido excelente tanto para o Estado quanto para as demais instituições que trabalham com o sistema de justiça, afirma o defensor. “Nós conseguimos reduzir a judicalização em mais de 95%, com um índice de resolutividade muito grande no espaço de entrega da solicitação do tratamento e medicamento, o que resultou numa resposta rápida ao cidadão, além de economia para o Estado e para o Poder Judiciário, porque com menos processos, tem mais tempo para se dedicar a questões mais complexas”, diz Balbé.