Divisão de Inovação e Tecnologia da Defensoria Pública coordena grupo em maratona mundial de program


Cristina Araujo, diretora adjunta do DIT , está coordenando um dos grupos da maratona como consultora tecnológica

A equipe da Divisão de Inovação e Tecnologia (DIT) da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) participa neste fim de semana, em Manaus, da Global Legal Hackathon, competição que visa o desenvolvimento rápido de soluções inovadoras que impactem positivamente o ecossistema da Justiça. O evento acontece até este domingo, 23, em mais de 60 cidades ao redor do mundo e mais de 22 países simultaneamente, com transmissão AO VIVO.

A iniciativa é da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas, por meio da Comissão da Direito Digital, Startup e Inovação, com o apoio do Sebraelab e da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs.

Cristina Araujo, diretora adjunta do DIT da Defensoria, está coordenando um dos grupos da maratona como consultora tecnológica. “Meu papel é mostrar como a inovação e as soluções tecnológicas podem ajudar a desburocratizar a área jurídica e ampliar essa visão para atender a grandes necessidades que as pessoas têm no acesso a esse tipo de serviços. É muito gratificante participar de uma iniciativa tão importante e inovadora como esta. Prestar uma consultoria tecnológica para a equipe na maratona é como se estivesse na sala de aula da universidade orientando meus alunos a usarem a criatividade a serviço de um bem maior. Usar esses conhecimentos e ainda representar a Defensoria faz eu me sentir em casa”, destacou Cristina.

O defensor público Ricardo Paiva, diretor de Planejamento da DPE-AM, e coordenador do DIT, participou da abertura do evento e na ocasião falou sobre o trabalho desenvolvido pela Divisão de Inovação e Tecnologia e das ferramentas desenvolvidas para melhorar os serviços da Defensoria. Para ele, a iniciativa é uma oportunidade para buscar ações de aprimoramento do Direito.

“A Defensoria está sempre atenta as atualizações da operação do Direito e esse evento com alcance mundial é uma oportunidade excelente para criar ferramentas e soluções inovadoras que acompanhem a modernidade. A Defensoria indicou uma consultora técnica para participar do evento que é uma maratona. Mentores vão apresentar uma problemática e os participantes terão 48 horas para expor um projeto de tecnologia da informação que possa resolver esse problema e a Cristina ( DIT) está sendo a consultora tecnológica de uma dessas equipes”, explicou o defensor acrescentando que o campeão do evento passa para uma segunda etapa e vencendo pode ir para a terceira que será realizada em Nova York.

“A OAB-AM entende que como as demais áreas, o Direito também está em constante atualização e seja no dia a dia dos operadores do Direito, seja no dia a dia do jurisdicionado, a sociedade como um todo está buscando cada vez mais modernidade, inovação, novas ferramentas que possam desburocratizar as rotinas. O advogado está buscando empreender, está atrás de soluções que possam efetivamente contribuir com o seu trabalho e por isso estamos aqui apoiando e incentivando essa competição, a exemplo do que já fez o Ministério Público do Amazonas no ano passado”, afirmou o presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy.

Para o presidente do conselho deliberativo do Sebrae-AM, Muni Lourenço Júnior, a iniciativa da OAB em fomentar a busca de novas soluções para a área jurídica e para a advocacia serve de estímulo para que outras áreas também busquem a inovação e a tecnologia como solução para muitos entraves.

Sobre o evento

O Global Legal Hackathon 2019 é uma iniciativa internacional que busca engajar faculdades, escritórios, empreendedores, empresas de tecnologia, governos, prestadores de serviços e outros atores que trabalham no desenvolvimento rápido de soluções inovadoras que impactem positivamente o ecossistema da Justiça.

A programação reúne palestras e uma maratona global de desenvolvimento de 54 horas. São mais de 60 cidades-sedes ao redor do mundo se organizando para receber o evento simultaneamente. No Brasil, a programação ocorre em Manaus, Balneário Camboriú, Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Jaraguá do Sul (SC), Manaus (AM), Porto Alegre (RS) e Recife (PE). Essa é a primeira que Manaus participa do evento.

O presidente da Comissão de Direito Digital, Startup e Inovação da OAB-AM, Aldo Evangelista, explica que o objetivo da iniciativa “é encontrar projetos inovadores que venham democratizar o acesso ao sistema judiciário, aproximando os cidadãos de seus direitos de forma mais ágil e rápida, além de promover a conexão do ecossistema do judiciário amazonense na vanguarda da inovação jurídica e tecnologias digitais”.

Estão participando da maratona que segue até domingo, dia 24, profissionais das áreas de: Direito, Tecnologia, Design, Publicidade, Empreendedorismo e demais entusiastas no tema.

Maratona

Mentores e especialistas de diversas áreas auxiliarão os participantes que irão trabalhar em equipe para mapear os desafios da Justiça e pensar em soluções para o seguimento. Nos três dias de maratona, os competidores terão mais de 50 horas para se dedicar às ideias. Cada equipe irá submeter sua proposta para uma banca julgadora e os vencedores terão a oportunidade de participar de programas de pré-aceleração e aceleração. A equipe vencedora (1º lugar) em Manaus irá competir com as demais equipes do mundo todo nas semifinais que estão previstas para ocorrer em 25 de março. O vencedor da grande final do Global Legal Hackathon 2019 será apresentado em um jantar de gala em 4 de maio, em Nova York (EUA), momento em que também serão apresentadas as quatro equipes com projetos de maior destaque.

#DIT #GlobalLegalHackathon #maratona #soluções #Direito

0 visualização