Rapaz agredido por homofobia é assistido pela Defensoria Pública após Polícia Civil registrar caso c


Agressor desferiu golpes com guidão de bicicleta na cabeça e braço da vítima após ofendê-la por três meses em razão de sua orientação sexual. STF discute criminalização da homofobia

Um homem de 29 anos que foi agredido com um guidão de bicicleta pelo vizinho no bairro Santo Antônio, Zona Oeste de Manaus, após ser discriminado por causa de sua orientação sexual está sendo assistido pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). Apesar da relação homofóbica do crime, o caso foi registrado no 5º Distrito Integrado de Polícia (DIP) como lesão corporal em vez de tentativa de homicídio por motivo torpe, classificação adequada no entendimento da DPE-AM.

O caso ocorreu no dia 31 de janeiro, três meses depois de o agressor começar a ofender a vítima com termos pejorativos como “viadinho” e “gay aidético”. No dia do crime, após voltar a ser ofendido enquanto andava pela rua, o jovem pediu para que o vizinho parasse com as ofensas e disse que iria registrar o caso na Delegacia. Após o pedido, o agressor desferiu golpes com um guidão contra a cabeça e o braço da vítima, que chegou a desmaiar.