Em Semana do Mutirão do Júri, defensor geral ressalta necessidade de equilíbrio de forças no tripé d


Rafael Barbosa integra força-tarefa da Defensoria para cumprir pauta de julgamentos e reitera déficit de defensores e carência de reforço estrutural

“Temos muito a evoluir para equilibrar o tripé da Justiça, dando a mesma força a quem defende e a quem acusa”, disse o defensor público geral do Estado, Rafael Barbosa, ao abrir sustentação oral em um dos dois julgamentos de que participou na segunda-feira, 06, na abertura da I Semana do Mutirão do Júri. O defensor geral é um dos 28 defensores públicos mobilizados voluntariamente em uma força-tarefa da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) no esforço para o cumprimento da pauta de julgamentos.

A Defensoria está atuando em 67 dos 90 processos pautados, ou seja, em 74,4% das ações do mutirão, o que exigiu uma engenharia para o deslocamento de defensores de outras áreas e funções. Durante a abertura de sua argumentação, o defensor geral afirmou que estava atuando no julgamento após seis anos de atuação administrativa como subdefensor geral e defensor geral, porque os defensores públicos estão sobrecarregados.

“Por que eu estou aqui? Porque a Defensoria não tem quem faça esse julgamento. Deslocar o Defensor Geral para fazer a defesa do réu é a única forma de a Defensoria estar presente. Peguei o processo ontem e h