Experiência da Defensoria no atendimento a vítimas é destaque em Oficina de Prevenção e Combate ao A


A experiência da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) no projeto Um Novo Amanhã foi destaque na Oficina de Prevenção e Combate ao Abuso Sexual Infantojuvenil, realizada na tarde desta segunda-feira, 20, no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). A psicóloga Luciana Alencar Peixoto, que atua no projeto voltado ao atendimento psicossocial de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, ministrou a palestra de abertura da oficina falando sobre escuta especializada.

De acordo com Luciana Peixoto, a escuta especializada foi escolhida como tema por se tratar de algo que é feito dentro do projeto Um Novo Amanhã, coordenado pela defensora pública Flávia Lopes, onde é desenvolvido um trabalho de cuidado, da proteção da criança vítima da violência, abuso ou exploração sexual.

“Buscamos fazer uma diferenciação do depoimento sem dano e do depoimento especial, que deve ser feito nas esfera policial e do Judiciário, em contraponto com a escuta especializada, que pode ser feita por qualquer ator da rede de proteção, inclusive nas escolas, onde muitas vezes é o lugar em que as crianças e adolescentes se sentem seguros para fazer seus relatos sobre a violência sofrida. Este é um momento de reflexão, de capacitação desses atores que atuam na rede de proteção”, esclarece a psicóloga.

O defensor geral, Rafael Barbosa, também esteve presente na abertura da oficina e ressaltou que a proteção a crianças e adolescentes tem sido sempre uma preocupação da Defensoria, como fica evidente com a implementação do projeto Um Novo Amanhã, criado há dois anos. “A Defensoria sabe da importância desse assunto, de que ainda é um tabu na sociedade, infelizmente, e por isso, qualquer iniciativa que coloque o tema em roda, que coloque as pessoas especializadas para debater e encontrar formas de resolver ou minorar esse problema, tem o nosso apoio e o nosso incentivo”, afirmou.

Para a defensora Flávia Lopes, são muito importantes as iniciativas de discutir o tema da violência sexual contra crianças e adolescentes. “É um tema que tem que ser falado, até com a finalidade de se evitar e para orientar os pais também sobre os procedimentos que devem tomar para prevenir situações de risco ou dar o devido tratamento aos filhos que sofrem a violência. A Defensoria tem hoje uma psicóloga no evento tratando sobre o projeto que desenvolvemos na Defensoria voltado a atender as vítimas de crimes sexuais e estamos sempre abertos às pessoas que necessitarem”, disse.

Representando a Defensoria na mesa de abertura do evento, a defensora pública Carolina Carvalho, subcoordenadora da área de Família, afirmou que é extremamente importante a Defensoria Pública estar sempre presente nas políticas de prevenção e combate ao abuso sexual infanto-juvenil. “Nesse sentido, caminha o projeto da Defensoria Um Novo Amanhã, que presta assistência psicológica, jurídica e social às crianças e adolescentes vítimas de violência e exploração sexual, fazendo um acompanhamento psicossocial, inclusive, com os agressores”, comentou.

O evento, que faz parte da Campanha de Enfrentamento à Violência e Exploração Sexual Infantojuvenil, de 17 a 23 de maio, contou ainda com autoridades como o corregedor-geral do TJAM, desembargador Lafayette Carneiro Vieira Júnior, a juíza coordenadora da campanha Articlina Guimarães e a juíza Rebecca Mendonça, titular da Coordenadoria da Infância e da Juventude do Tribunal de Justiça do Amazonas (COIJ/TJAM).

#DPEAM #TJAM #UmNovoAmanhã #Abusosexualinfantojuvenil

67 visualizações