Defensor geral participa de reunião virtual com ministra do STF

Ministra Cármen Lúcia é relatora da ação ajuizada no Supremo Tribunal Federal que questiona validade do Programa de Residência Jurídica da DPE-AM



A presidente do Colégio Nacional dos Defensores Públicos-Gerais (CONDEGE), Maria de Nápolis, e o defensor público-geral do Amazonas, Ricardo Paiva, participaram na última segunda feira (14) de reunião por videoconferência com a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia.


O objetivo da reunião foi debater a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6478 ajuizada para questionar a validade do Programa de Residência Jurídica (PRJ) instituído pelo Conselho Superior da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). A relatora da ação é a ministra Cármen Lúcia. A ADI 6478 foi ajuizada pelo procurador-geral da República, Augusto Aras.


A ministra Cármen Lúcia adotou o rito do artigo 12 da Lei das ADIs (Lei 9.868/1999), que permite o julgamento do mérito diretamente pelo Plenário, dispensando-se a análise de liminar. A ministra determinou que sejam requisitadas informações ao defensor público-geral do Amazonas, a serem prestadas no prazo de dez dias. Na sequência, a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), sucessivamente, terão cinco dias para se manifestarem.


A ADI 6478 sustenta que os critérios estabelecidos pela Lei do Estágio (Lei 11.788/2008) não foram cumpridos na Resolução 3/2017, com a redação dada pela Resolução 2/2020, da DPE-AM, que admite a contratação de bacharéis mesmo sem estarem matriculados em cursos de pós-graduação.


Com informações da Assessoria de Comunicação do CONDEGE

61 visualizações
INSTITUCIONAL
Please reload

DIÁRIO OFICIAL
Please reload

CONSELHO SUPERIOR
Please reload

LEGISLAÇÃO
SERVIÇOS
Please reload

IMPRENSA
Please reload

Please reload

Avenida André Araújo, nº 679 - Bairro Aleixo
CEP 69060-000 | Manaus - Amazonas