Defensoria volta a fiscalizar projeto “Escola Aberta” na rede municipal de educação



Após defensores identificarem série de inadequações, houve mudanças nas escolas em comparação à fiscalização do último dia 8, data anunciada pela Semed para a reabertura das unidades como ponto de apoio

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) realizou, nesta quinta-feira (17), a segunda fiscalização em escolas da rede municipal de ensino da capital. O intuito foi verificar o funcionamento do projeto “Escola Aberta” e se as unidades escolares foram preparadas para receber alunos e professores, cumprindo protocolos de combate à Covid-19, após a instituição identificar uma série de inadequações estruturais e de cuidados com a saúde, na primeira fiscalização, realizada em 24 escolas, no último dia 8.

Desta vez, foram visitadas 11 escolas das Zonas Norte e Leste de Manaus, contemplando as maiores de cada região. Duas estavam fechadas. Ao contrário da primeira fiscalização, agora as escolas que estavam abertas apresentavam comunicação visual instalada no piso e paredes alertando para o uso obrigatório de máscaras e respeito ao distanciamento, bem como disponibilização de álcool em gel e marcações para uso alternado de cadeiras nas salas de aulas. Todas as escolas visitadas na Zona Leste possuíam termômetro infravermelho para aferir a temperatura de alunos, professores e funcionários. Já na Zona Norte, apenas uma escola visitada possuía o equipamento.

Embora tenha havido avanço no aspecto estrutural, as unidades visitadas ainda não contavam com pias extras, com água e sabão, para a higienização das mãos, nos principais acessos. Em relação ao projeto “Escola Aberta”, ficou constatada a falta de uma diretriz da Semed para orientar gestores das escolas, de forma unificada, que permita que a iniciativa funcione plenamente, para o maior número possível de alunos, conforme foi anunciado.