Projeto Defensoria Pública Digital é apresentado a pesquisadora de Harvard



O defensor público Marcelo Pinheiro participou de uma videoconferência, nesta segunda-feira (6), com a pesquisadora de PhD da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Mayara Felix, para apresentar o Projeto Defensoria Pública Digital (DPDigital).


O defensor, que é coordenador do projeto, decidiu contatar a pesquisadora após ler uma reportagem sobre sua trajetória, que teve como ponto de partida um bairro da periferia da cidade de Olinda, em Pernambuco. Ele enviou o pedido de apresentação do projeto para o endereço eletrônico que a pesquisadora Mayara mantém junto ao Massachusetts Institute of Technology (MIT), local em que conclui o seu doutorado em economia, em 2021.


“Ao ler sobre a sua trajetória de vida e pensar sobre os milhões de brasileiros que batem às portas da Defensoria Pública, bem como os propósitos da criação do Projeto DPDigital, não tive a menor dúvida de que Mayara poderia contribuir com o nosso projeto”, afirma o defensor Marcelo Pinheiro. Mayara respondeu ao e-mail e sugeriu possíveis datas.


A conversa ocorreu na segunda-feira. Ao longo de uma hora de conversa, Mayara teve a oportunidade de conhecer melhor sobre o modelo brasileiro de Defensoria Pública e sobre alguns pontos do Projeto Defensoria Pública Digital, ressaltando a importância e o seu interesse em contribuir com ideias para o fortalecimento da iniciativa.


A conversa baseou-se principalmente nos impactos que as plataformas digitais, a exemplo das que operam com transportes de passageiros e as redes sociais, podem ocasionar nos usuários dos serviços da Defensoria Pública.


Num segundo momento, Mayara comentou sobre como a coleta de dados, a ser devidamente manuseada pelas lentes da Economia Aplicada, sua área de pesquisa, podem trazer diversos resultados para o entendimento das relações de causalidade entre o uso de tecnologias e as variadas circunstâncias do cotidiano numa sociedade tecnológica.


“Poder entender esses fenômenos por meio de uma perspectiva diversa da jurídica é algo instigador e seguramente irá contribuir para o entendimento dos impactos que as novas tecnologias vêm causando na sociedade atual”, afirma o Defensor.


Um próximo encontro deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2022, uma vez que, segundo o defensor, um espaço de tempo se mostra necessário para o amadurecimento das ideias fornecidas por Mayara, além da análise das melhores medidas jurídicas e administrativas a serem manuseadas pela Defensoria Pública para a sua concretização.

233 visualizações